Pandora’s Box – 1 – Bar

Duas semana se passaram desde aquele dia no mar, onde sua tripulação foi dizimada sabe-se lá pelo que. Demorou pra voltar não pela distância que estava do ancoradouro, mas sim pela dificuldade de navegar seu navio sozinho. Havia chegado cansado e muito irritado na doca, ignorando muitas das perguntas sobre o que havia acontecido e rumando direto para onde estava já faz dois dias: O Bar.

E não um bar qualquer; um bar pirata. Não muito limpo, incrivelmente barulhento, cheiro de álcool e fumo por todo o lado.

Não é nenhuma novidade que piratas são arruaceiros e festivos, mas Kyle estava tudo menos feliz nesses últimos dois dias. Ficou sentado na sua cadeira, no canto do lugar, com suas roupas ainda mais desleixadas, seu chapéu no balcão ao lado de sua pistola (agora carregada) mostrando que não queria ser incomodado. Infelizmente, pra ele, por mais que bebesse, não sentia efeito nenhum e isso era chato de mais para alguém que queria ficar de porre e esquecer o que aconteceu com sua tripulação. Até que um tapinha no seu ombro seguido de uma voz familiar o trouxe de volta a realidade.

– Quanto tempo mais você vai ficar aí se lamentando, Capitão?

Era uma voz feminina conhecida. Kyle nem precisou se virar para responder.

– Do que adianta ser um Capitão sem uma tripulação, Morgana? – respondeu virando seu copo de rum e finalmente se virando para ela. Era uma elfa, e isso já falava muita coisa sobre sua aparência: Muito bonita, pele e cabelos claros, olhos cor de mel e vestindo um corpete vinho, por cima de uma blusa de mangas compridas, calças justas e botas; Além de suas duas adagas cruzadas na sua cintura. Ela parecia um pouco ofendida com a pergunta.

– Como assim “sem uma tripulação”? Eu não conto mais, é isso?

– Você me entendeu, não vamos começar… Além do mais alguém tem que continuar a cuidar das coisas em terra, não? – Disse ele, já se levantando e pegando seu chapéu e arma.

– Lá vem você com isso de novo. – Respondeu ela, seguindo-o pela confusão no bar até a saída. O sol já começava a se por no horizonte enquanto eles caminhavam em silêncio até as docas.

Estavam em Barif, uma cidade portuária e unicamente comercial. Ficava entre os dois reinos, sendo uma zona de comercio livre entre ambos tanto em tempos de guerra como nos atuais tempos de paz. De noite não era tão movimentada quanto de dia, mas mesmo assim varias pessoas estavam aqui e ali, indo e vindo das tavernas e alguns comércios que ainda estavam abertos. Enfim, chegaram no porto, ao lado de seu navio, o Karthos. Kyle parou observando o, antes movimentado, navio e se virou para Morgana, mostrando a pequena caixa prateada para ela.

– Eu odeio admitir… mas eu preciso descobrir o que diabos é isso… E vou precisar de uma tripulação novamente… O que acha?

– Sim, capitão! – Respondeu ela com um sorriso largo. Estavam prontos para, no outro dia, caçar carne nova para o navio.

Anúncios

2 comentários sobre “Pandora’s Box – 1 – Bar

  1. Morgana é nome de cachorro -q
    E confesse, você tem uma queda por loiras! hahaha

    PS: gostei mais desse que do outro. É mais você, sei lá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s