Direto do front

Numa trincheira, dois militares, um tenente e um soldado, são os últimos sobreviventes do pelotão do qual faziam parte.

– Pelo jeito não tem mais nenhum inimigo por perto… – Diz o Tenente, um tanto preocupado.

– Nunca se sabe, Tenente. – Retruca o Soldado. – Eles podem ser pacientes.

– Se tivesse já teriam vindo aqui.

– É… Mesmo assim, é bom ter prudência.

– E vamos ficar aqui até quando?

– Não sei, senhor. Estou ao seu comando.

– Se sairmos só ao amanhecer, seremos alvos fáceis.

– Então vamos nos arriscar saindo agora?

– Se ficarmos aqui podemos sofrer um ataque surpresa.

– Mas o caminho até o acampamento é longo.

– Não importa. Não vamos ficar aqui para sempre. Faça agora uma análise do ambiente.

– Sinto não estar habilitado para isto, senhor. Apenas tenentes tem o treinamento necessário.

– Mas no momento eu sou o comandante e você é o meu subordinado. Logo, tem que executar a missão que te foi passada.

– Mas como eu não estou devidamente habilitado, uma análise errada minha pode colocar o senhor, meu superior, em risco. Seria uma temeridade.

– Bastante louvável a sua atitude, Soldado. Quando esta guerra acabar, te promovo Sargento.

– Sargento? Muita honra, senhor. Nunca achei que merecesse tanto apreço.

– Pois merece. Agora faça por merecer a promoção que irá ganhar e vá checar o ambiente

– Sim, eu irei mas… Para ser Sargento eu não precisaria fazer concurso?

– Nada de concursos, homem. Eu sou um tenente de três estrelas. E estamos em guerra. Dár-se um jeito para tudo.

– Sei. E como foi que o senhor se tornou tenente?

– Eu? Bem… Eu estudei na escola de oficiais, prestei concurso e… Mas o que isso interessa agora? Está me interrogando?

– Não, não, senhor. É que eu achava que para ser promovido a tenente teria que ter experiência de combate.

– E precisamos, sim. Claro que nem sempre estamos em guerra, fazemos simulações, e no fim dá no mesmo.

– Alguém já morreu numa simulação, senhor?

– Evidente que não, Soldado.

– Então, se me permite, senhor, acredito que não seja a mesma coisa.

– Por acaso está me interpelando, Soldado?

– De forma nenhuma, Tenente. Apenas imaginei que com tanta experiência, o senhor pudesse me mostrar uma boa tática para sair daqui.

– Muito bem, Soldado. Pensando uma boa estratégia, e estudando bem situação em que estamos, a melhor tática que podemos ter é a do conjunto: vamos sair os dois.

– Entendido, Tenente. Conte comigo protegendo a retaguarda.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s