Poção do amor

Desde que aquela nuvem negra começou a pairar sobre o mundo, as pessoas e suas relações sociais e afetivas se extinguiram, aos poucos. Deixaram de dar bom dia, de dizer obrigada, até mesmo de se entreolharem. As relações que existiam apenas mantiveram-se por  hábito e por um extinto de sobrevivência. A vida era apenas aquela rotina e o contato humano era apenas para a reprodução da espécie, quando muito, visto as inovações na área.

Diziam ser uma praga lançada que apenas acelerou o processo antissocial que o mundo já havia vindo experimentando há algum tempo. Outros diziam que fazia parte da natureza humana e que a sociedade forçou as relações à vida como algo natural, porém era forçado. Éramos criaturas solitárias apenas buscando viver, sem interação com os demais.

Aos poucos, o mundo estava morrendo e para que isso não acontecesse, cientistas começaram a desenvolver uma nova droga, chamada poção do amor. Como os resultados só poderiam ser  vistos em humanos, começaram a fazer seleção de pessoas para os testes. E foi um sucesso. Logo que a poção do amor começou a fazer efeito, uma aurea brilhante tomava conta do recinto, um sorriso se abria e dava pra sentir o calor de longe. Quando testado em casais, sentia-se o amor, o companheirismo, a vontade de estar junto e se importar. Encontraram a cura, acreditavam.

Meses após o teste, as pessoas que participaram começaram a morrer. Aparentemente estavam saudáveis, mas do nada morriam. Os cientistas, confusos, fizeram um recall da poção do amor e suspenderam imediatamente sua venda e proibiram seu consumo. Ao que parece, as pessoas estavam consumindo a droga em excesso, além da dose recomendada diária, causando uma espécie de overdose de amor, que ninguém estava conseguindo lidar.

Pensaram, então, que não adianta ter uma vida só de amor, há que se dosar… não tem como manipular sentimentos. Começaram a pensar na droga do bom senso.

Em resposta ao desafio proposto pelo Luís, de escrever sobre “amor”, e que eu não consegui postar no domingo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s