Johnny Got a Boom Boom

Outra noite de trabalho.

Ficou parado por uns dias, descansando, cuidando de seus ferimentos, trabalhando “nos bastidores”  e observando. Seu último ataque fora muito bem sucedido e tinha deixado a “comunidade vampírica”, vamos chamar assim, agitada e em alerta. Os bares e baladas deles ficaram mais vigiados e restritos. E por isso mesmo não pretende fazer um ataque destes tão cedo novamente; não, precisa fazer algo maior e sacudir com força a estrutura deles. A ironia é que seu alvo é o dono de uma casa de shows.

E de metade da cidade.

Não foi difícil saber onde ele estaria essa noite; havia um grande evento acontecendo no subúrbio da cidade, uma inauguração, e um figurão não iria passar desapercebido por ali. E o problema era exatamente esse: como conseguir eliminar seu alvo sem ser massacrado no processo.  Mas, bem, ele era bom resolvendo problemas. Enquanto se recuperava, já colocava em prática seu plano para hoje; era algo trabalhoso, mas a chance de funcionar era bem maior que outras coisas.

Hoje não vestia seu usual capote e chapéu, mas um uniforme de limpeza completo, com barba e bigodes falsos muito bem colocados. Para muita gente, fazer o que ele estava fazendo era loucura e idiotice. E por isso mesmo, inesperado e com alguma chance de funcionar.

Ficava por trás do salão principal, fazendo seu ‘trabalho’, limpando os corredores e banheiros sem muita pressa, recebendo olhares comuns dos seguranças e pessoas que por ele passavam. O salão estava ficando abarrotado com todo o tipo de “pessoa”, cheio de seguranças e lotado de pessoas que o odeiam. Felizmente a recíproca é tão verdadeira que ele mal conseguia se segurar para colocar seu plano em prática. Finalmente a música parou e o figurão foi chamado para um discurso. Falou sobre como o prédio era importante e todo o blah blah blah político do qual ele se vangloriava. Logo depois apresentou uma banda que iria fazer uma música ao vivo para animar o lugar.

Então ele a viu.

Era a mulher que havia cantado no bar naquela outra noite. A banda era diferente, mas era definitivamente ela. Sua voz ecoou pela sala junto com sua música fazendo-o parar o que estava fazendo. As pessoas dançando a sua frente impediam fracamente sua visão da banda, mas podia ver entre elas que a mulher o olhava fixamente enquanto cantava. Não gostava o jeito com ela apontava em sua direção em certas partes da música mas sacudiu a cabeça e se concentrou.

Já havia passado da hora de agir.

Se esgueirou até próximo a sala dos empregados, quebrou o vidro do alarme de incêndio e o ativou. No salão, e em todo o prédio, esguichos de água se ativaram, encharcando tudo e todos os confusos convidados. Estavam tão confusos com o alarme súbito que nem notaram que não estavam encharcados em água. Travis, já correndo para perto da porta de trás do prédio, acendia um pequeno coquetel molotov improvisado e arremessava para trás.

A cena aconteceu em câmera lenta. Travis se jogando para fora do prédio, mal fechando a porta por trás de sí; a garrafa rodopiando, com seu pano em chamas abrindo caminho por entre a chuva de álcool que caía pelo teto e logo explodindo em milhares de pedaços, criando uma cortina de fogo que logo se transformou numa enorme bola que se expandiu quebrando todas as janelas.

Sucesso.

Já chamava de sucesso pelo simples fato de estar vivo até agora. Seus ouvidos zuniam por causa da explosão, seu tórax doía por ter caído justamente em cima de seu ferimento e agora tinha que se proteger da chuva de estilhaços flamejantes que cortava a noite. Correu como pôde até seu carro tentando ignorar o fato de ainda escutar a banda tocar.

Anúncios

Um comentário sobre “Johnny Got a Boom Boom

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s