Mayhem

Uma banda toca ao fundo.

Um rock, tipo clássico, cantado por uma mulher. Era uma boa música e as pessoas do bar estavam realmente gostando. Mas ele parecia indiferente, mexendo em seu copo de whisky, sentado no balcão, curvado para frente. Seu capote surrado balançava pouco com o andar das pessoas logo atrás dele mas ele mal se mexia.  A cicatriz em forma de corte em sua mão coçava, e isso nunca era um bom sinal… Decidiu beber de uma vez seu whisky e se virou para o lugar – Estava apinhado de gente.

Não gostava de gente.

Bem, de gente “Gente” ele até gostava. Tolerava até. Mas aquele tipo de gente não lhe agradava nem um pouco. Alguns dançavam despreocupados, outros estavam sentados em poltronas curvas, bebendo, rindo, conversando e se pegando. Alguns, os mais velhos, faziam como ele, só bebiam e observavam, trocando algumas palavras aqui e ali. Pareciam não gostar daquilo tudo também, mas não tanto quanto ele. Não tanto quanto Travis “Midnight” Sparks. Olhou um pouco mais o lugar, arrumando seu capote para não deixar a mostra nada de sua roupa. Somente sua calça e botas pretas podiam ser vistas. E sua cara séria, claro.

Levantou-se e abriu caminho até a banda.

Fez um burburinho com sua atitude e empurrões, mas não chamou tanto a atenção. Logo que chegou a frente da vocalista, esperou a música acabar, aplaudiu e chamou-a, sussurrando algo demorado em seu ouvido. Algo que a chocou um pouco pela sua reação. Logo ela começou a falar com a banda enquanto ele subia no palco e batia no microfone e, agora sim, chamou atenção.

– Boa noite Senhoras e Senhores. – começou, olhando a todos com um sorriso. – Espero que todos estejam tendo uma boa noite. Meu nome é Travis Sparks, mas alguns de vocês devem me conhecer como Midnight, ou nem me conhecer.

Dito isso, um burburinho se espalhou como fogo por todo o lugar. Alguns se olhavam assustados e andavam lentamente para a porta. Outros, mais velhos, se levantavam e mostravam hostilidade. Ele continuou.

– Enfim, o que eu gostaria de dizer é que, bem, eu estou aqui a trabalho. E vocês são o trabalho da noite. Não vocês – falou olhando para a banda – eu gosto do som de vocês, então, tocando.

A banda se entreolhou nervosa, mas a vocalista abriu um sorriso e contou batendo palmas e a música começou.

 

Sacou duas pistolas de grande calibre de seu coldre e atirou no primeiro vampiro estúpido o suficiente para ter pulado primeiro pra cima dele. Sorriu e desceu do palco, começando a sua dança.

Uma banda toca ao fundo.

Anúncios

2 comentários sobre “Mayhem

  1. Realmente queria saber de onde você tira essas coisas!
    Gostei mais desse que de todos os outros, e muito boa a música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s