Sobre as certezas da vida. Ou seriam as incertezas?

– Lauro?!
– …
– Ô Lauro…!
– …
– Bem, já que tu não responde, vou falar assim mesmo. E não me interessa se tu não quer me ouvir, já teve tua chance de te pronunciar.
Lauro não mexia um músculo…
– Não agüento mais, as coisas estão ficando complicadas e não dá mais pra ficar como está, isso está me matando aos poucos e…
– (bocejo)
– Tu quer dizer alguma coisa? Não, não falo da nossa relação, tu sempre foi um grande amigo meu não tenho o que reclamar de ti, o problema é com os outros, ou comigo. Não sei bem ao certo ainda.
Lauro continuava ali, do mesmo jeito que estava quando a conversa começou.
– Teu silêncio me diz muito, Lauro… Eu não sei bem o que fazer, as coisas sempre foram tão boas mas parece que o encanto se quebrou, que as coisas se perderam, não sei. Eu ainda estou bastante confuso, as vezes parece que fiz a coisa certa e as vezes parece que eu fui um babaca.
Lauro se esticou um pouco mais e deu um longo bocejo.
– Então, meu amigo… as vezes da vontade de correr de volta no tempo sabendo onde foi que se perdeu essa essência da coisa que existia, ou algumas horas atrás, quando tudo isso começou.
Lauro olhou fixamente para o rapaz, que continuou a falar:
– Eu sinto vontade de chorar, de gritar, de voltar atrás, de manter as coisas como estão, de sumir do mundo por uns tempos, de não fazer nada…  Eu não sei de mais nada.
Lauro levantou e chegou mais perto.
– Eu sabia que seria complicado, mas eu não imaginava o peso todo disso, não sabia que o fardo era tão grande… eu sei que dizem que o tal de Deus só dá um fardo de tamanho que possamos carregar, mas ainda assim… não consegui medir o meu.
– O que tu acha, Lauro? Eu fui uma pessoa má? Eu sou uma pessoa má? É tanta coisa passando pela minha cabeça que eu não sei ao certo por onde começar o que eu nem sei ainda que tenho de fazer. É confuso, eu sei… mas é exatamente assim que estou me sentindo: confuso.
E Lauro deu uma longa lambida no rosto do rapaz, que sorriu e disse:
– Tu é um bom cão, Lauro, sempre aí para me ouvir, seja minhas lamúrias ou minhas alegrias, sempre vai estar aqui do meu lado, não vai?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s